Inegra é um dos homenageados do 9º For Rainbow
19/09/2015

Inegra é um dos homenageados do 9º For Rainbow

O Instituto Negra do Ceará – INEGRA, organização social de mulheres negras que tem como objetivo promover os valores étnicos, políticos, sociais e culturais das populações negras, será um dos homenageados desta nona edição do For Rainbow.

Criado em outubro de 2003, o coletivo é formado por mulheres negras de diferentes áreas de formação e atuação política e vem atuando no Ceará dentro de uma perspectiva antirracista e feminista. Segundo Meiry Coelho, uma das integrantes do Inegra, o imaginário social que instituía o Ceará como um estado indígena, sem a presença de negros e negras, fez com que o coletivo buscasse revisitar a história  para apresentar os traços da identidade e cultura negra na região. Além disso, o instituto tem como um dos principais desafios instituir o recorte racial nas políticas públicas de gênero e direitos humanos, de forma a pautar o racismo e seus impactos na vida das mulheres negras. “Desafios que ainda estão postos, porém temos conseguido muitos avanços, seja na articulação com os espaços deliberativos da sociedade civil ou nas gestões públicas municipais, estaduais e federais”, declara Meiry.

A luta do Inegra é alinhada à proposta do For Rainbow, festival que busca problematizar, por meio da arte, os velhos paradigmas que pautam o corpo, as formas de amar, ser e estar na cidade Fortaleza. “O festival carrega muitas vidas, sonhos e histórias de resistência com o objetivo de demarcar a pluralidade sexual e de gênero no Brasil através do cinema. Sem amarras, tabus, preconceitos e discriminação. Mais For Rainbow no cenário cultural cearense”, reforça Meiry.

Além do Inegra,  o ator, dramaturgo e diretor teatral Ricardo Guilherme; e o fotógrafo Tiago Santana serão homenageados com o troféu Artur Guedes na nona edição do For Rainbow. O troféu recebe seu nome em reverência ao dramaturgo, poeta e cineasta Artur Guedes, responsável por grandes espetáculos em espaços alternativos nas décadas de 70 e 80, como as peças “Labirinto” e “A Filha de Hipócrates”.

Para mais informações sobre o Inegra, visite a página https://inegrace.wordpress.com/